terça-feira, 19 de março de 2013

Câmara de Pedra Preta aprova projeto de contratos para a prefeitura

Depois de muitas polêmicas a Câmara Municipal de Pedra Preta aprovou em sessão realizada na noite de ontem, o projeto de Lei de autoria do Executivo Municipal, solicitando a contratação de servidores para o município, através de processo seletivo.

Das 88 vagas solicitadas pelo Executivo, apenas 37 foram aprovadas pelo Legislativo. Já o projeto para a criação de cargos comicionados para a prefeitura, foi retirado de pauta e devolvido ao Poder Executivo para a correção de erros de digitação.

A sessão foi bastante movimentada. Logo cedo, uma fila intensa já se encontrava formada em frente a sede do Poder Legislativo. Foi preciso o auxílio da Polícia Militar, para dirigir o povo ao recinto da Câmara Municipal. Lá no plenário os animos se acirraram durante alguns momentos da sessão, entre os vereadores e a platenha presente, mas finalmente o projeto foi aprovado.

Para a vereadora Nena Pinto (PR), o número de vagas aprovadas pelo Legislativo foi muito pequeno, tendo em vista a necessidade do município de ter um número de servidores maior para dar continuidade ao bom trabahlo que vem sendo realizado pela gestão do prefeito Luiz de Haroldo (PSDB).

Já a vereadora Rosa Costa (PSC), em seu pronunciamento, parabenizou a administração do prefeito Luiz de Haroldo, expressando a sua alegria em ver a sua cidade de cara nova, totalmente limpa, escolas sendo reformadas, melhorias na saúde, onde a vereadora sitou o caso da aquisição de uma ambulância e o concerto em outra já existente. A parlamentar lembrou do acidente ocorrido com o ex prefeito José Mendes, pai do presidente da casa o vereador Jadson Mendes, que naquela ocasião o Sr. Dedé Mendes, como é conhecido, ficou a várias horas esperando uma ambulância de Lajes para prestar socorro, porque o município não tinha um ambulância para socorrelo, tendo em vista que a frota da prefeitura tinha ficado totalmente sucatiada na gestão anterior.


Vereadora Cathirenny acusa o vereador Rivelino de receber jornada dupla fora de sala de aula


 O clima esquentou na sessão de ontem na Câmara de Pedra Preta quando a vereadora Cathirenny Teixeira (PSC) denunciou o líder da oposição, vereador Roberto Rivelino, de receber jornada dupla como professor fora da sala de aula. A parlamentar cristã apresentou no plenário da Câmara, cópia dos contra cheques do professor vereador no valor de R$ 1.450,00 mensais, referente aos meses de outubro e novembro. Esse valor recebido foi a cada mês.

A vereadora ainda sitou que proucurou a Secretaria de Educação e não foi encontrado no livro de ponto da Escola João Bandeira Sobrinho a presença do vereador/professor durante esse período em sala de aula.