.

.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Jornais da Europa e EUA questionam porque as multidões contra Dilma não vão para rua contra Temer


Do Infomoney – As últimas pesquisas sobre o governo de Michel Temer mostram que a sua popularidade está no pré-sal. O Datafolha mostrou que o presidente é aprovado por apenas 7% da população, no percentual mais baixo desde o final do governo José Sarney em 1989. A Ipsos desta quinta mostrou um quadro ainda pior, com apenas 2% aprovando a gestão do presidente.






Porém, não é o que está acontecendo. Inclusive, a greve geral marcada para a próxima sexta-feira (30) tem como principal pauta a oposição às reformas do governo e não à saída do presidente. Além disso, deve contar com a participação maciça de centrais sindicais, com pouca adesão popular.

Essa aparente apatia da população está chamando a atenção da imprensa internacional, que buscou explicar em reportagens nos últimos dias as razões por trás do não-protesto.

O americano The Wall Street Journal apontou algumas hipóteses, ressaltando que os brasileiros estão exaustos. Ansiosos por uma vida política estável e perto da normalidade, poucas pessoas estão protestando. ”Mais de três anos depois do início do grande escândalo de corrupção que gerou imensos protestos e levou à derrubada da ex-presidente brasileira, grande parte da sociedade está cansada da instabilidade política”, diz a publicação. Para o WSJ, Temer se beneficia deste cansaço e dessa apatia e pode conseguir se manter no poder.


A apatia também foi destacada por Vinicius Mariano de Carvalho, professor associado de Estudos Brasileiros no Brazil Institute, do King’s College London, em entrevista para a Rádio França Internacional. Segundo ele, a apatia é gerada pelo desgosto generalizado em relação à classe política brasileira, afetando a capacidade de mobilização popular, gerando apatia. ”Vamos nos mobilizar em favor do quê? Em favor da saída do Temer? E o que vem logo em seguida?”.

Já o site em português Deutsche Welle fez uma compilação sobre as notícias sobre o Brasil dos principais jornais alemães e destacou esse tema.
publicou um pequeno apanhado das reações dos principais jornais alemães aos mais recentes escândalos políticos no Brasil, com a denúncia contra o presidente Michel Temer. Um dos principais destaques percebidos é a perda da confiança na democracia e a falta de protestos contra o governo.


Fonte: Esquerda Valente






Nenhum comentário:

Postar um comentário