.

.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Nelter questiona fechamento de zonas eleitorais e cobra mais segurança e melhores estradas


No seu pronunciamento durante a sessão plenária desta terça-feira (1), o deputado Nelter Queiroz (PMDB) questionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelo rezoneamento eleitoral que está sendo feito, provocando o fechamento de zonas eleitorais no interior. No caso do Rio Grande do Norte, já atingiu os municípios de Jardim de Piranhas, São Fernando e Timbaúba dos Batistas.

“Isso é um absurdo, prejudicando a população. As demandas desses municípios terão que ser resolvidas em Caicó, penalizando os munícipes. Estamos retroagindo há 30 anos”, critica Nelter.

O deputado afirmou que as medidas atingem a população mais simples. “Está acontecendo o que já houve no município de São Rafael e em outras cidades. Quando iremos ver os juízes e promotores sendo penalizados? É só o povo quem está sendo”, argumenta.

A medida do TSE está em andamento nas capitais e deve excluir pelo menos 72 zonas eleitorais. O Tribunal justifica que o trabalho será aprimorado, gerando redução dos custos e melhorando o atendimento ao eleitor. De acordo com o critério adotado, o município do interior de cada estado que tiver mais de uma zona eleitoral só poderá manter as duas unidades caso o quantitativo de eleitores da cidade seja maior que 70 mil por zona eleitoral.

SEGURANÇA E ESTRADAS

Ainda em seu pronunciamento, o parlamentar fez um apelo ao Governo do Estado para que invista no combate à criminalidade. Nelter Queiroz citou recentes crimes ocorridos no Vale do Açu, com assassinatos e chacinas. “É um absurdo o crescimento destes crimes. As pessoas estão em suas casas e de uma hora para outra a bandidagem invade seus lares. Peço à Secretaria de Segurança, ao Governador e à Polícia Civil urgência para mobilizar a justiça e o Ministério Público, a fim de evitar esses crimes absurdos”.

Outro problema citado pelo deputado foi a questão da má conservação das estradas. Nelter criticou o governo anterior pela utilização de recursos enviados para a recuperação de estradas em outra finalidade. “O Estado ficou inadimplente porque o dinheiro foi usado em outra finalidade, piorando uma situação que se arrasta há muito tempo”, contestou.

Em aparte, o deputado Hermano Morais (PMDB) também demonstrou preocupação com essa questão dos recursos enviados pelo Ministério dos Transportes para a recuperação de estradas. “Em Guamaré, por exemplo, as estradas estão precárias, dificultando inclusive o acesso à refinaria Clara Camarão. Há uma necessidade urgente de se repor estes trechos para garantir a segurança de quem trafega transportando produtos e para quem visita nosso Estado”, concluiu.


-- 


Atenciosamente, Jackson Dantas Filho (Jornalista/assessor de imprensa).











Nenhum comentário:

Postar um comentário