domingo, 29 de outubro de 2017

Nota sobre o rebaixamento da Refinaria Clara Camarão pela Petrobras


A Petrobras anuciou que rebaixará, a Ativo Industrial, a Refinaria Clara Camarão – instalada no município de Guamaré – que, segundo a própria estatal, bateu recorde mês passado na produção de Querosene de Aviação: foram produzidos 19.841 metros cúbicos do combustível, comprovando a viabilidade técnica e financeira da única refinaria do Nordeste que produz o QAV.
E mais: recentemente a Refinaria Clara Camarão recebeu da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis (ANP), a autorização para passar a processar 45 mil barris por dia de Petróleo, com possibilidade de expandir para 66 mil barris em curto prazo, passando, assim, inclusive, à frente da Refinaria de Manaus.
Desta forma, a Petrobras (que lucra explorando o nosso solo há anos) não pode tomar uma decisão desta natureza, de forma unilateral, pois implicará negativamente na economia não só do município de Guamaré, mas na economia de todo o Estado e na vida do povo potiguar.
Se concretizando tal medida, possivelmente haverá redução de investimentos no Rio Grande do Norte, uma vez que o Estado ficará totalmente excluído do plano estratégico e das discussões da Diretoria de Refino e Gás Natural.
Neste momento de dificuldade que atravessamos, é importante que o Governo do Estado do Rio Grande do Norte se posicione e que, toda a classe política, assim como as entidades representativas da cadeia produtiva e em especial a nossa bancada federal, se una em defesa dos interesses do nosso combalido Rio Grande do Norte.
Hermano Morais. Deputado Estadual.