quarta-feira, 22 de agosto de 2018

A Verdadeira Historia do STTR de Lajes


Por Zuelda Figueiredo 



O sindicato precisa de alguém que olhe para o trabalhador. Precisa de alguém que não tem preferências por nome. Precisa de representantes que não queira apenas o repasse mensal. 

Precisa de alguém que seja transparente e no dia da eleição não vista a camisa de candidato A ou B. 

Precisa de alguém que não queria sustentar a sua própria casa com o que entra todo dia no caixa. 

Precisa de alguém que queira ajudar a crescer uma classe tão batalhadora e humilhada como vem sendo nos últimos dias por um bando de devoradores que só querem o lado bom do sindicato.



O SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE LAJES PRECISA DE ALGUÉM QUE NÃO RESPONDA NA JUSTIÇA PROCESSOS POR CRIMES COMETIDOS CONTRA ELE.


O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Lajes vive seus piores momentos, onde seus representantes legais eleitos por 329 votos de confiança do trabalhador foram anulados, graças á representação junto a Justiça daqueles que querem apenas tumultuar e tirar a paz, causando a desordem naquela entidade, causando danos e prejuízos ás pessoas humildes da zona rural, que muitas vezes não têem sequer o conhecimento de seus direitos. Hoje aquela entidade estar de portas fechadas, fechadas porque sequer pode receber as mensalidades dos seus sócios, trabalhos como; emissão de ITR, DAP, Aposentadorias, Salários maternidade, Perícias, e tantos outros serviços, hoje não podem mais ser realizados naquela casa. E diante de toda essa situação temos uma federação á quem o Sindicato é filiado, que sequer toma uma atitude, permanecem de braços cruzados contemplando o desenrolar da situação que estar cada dia pior. E aqui eu faço meu questionamento... vamos ficar de braços cruzados vendo os trabalhadores(as) tendo seus direitos pisoteados enquanto um pequeno grupo tumultua apenas pra continuar no poder? Poder este que vinha se arrastando no tapetão á 20 anos! Vamos acordar trabalhadores e trabalhadoras e fazer valer os nossos direitos. Fica aqui o meu desabafo e minha indignação...