terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Mais de 500 pessoas celebram Natal na Vigília Lula Livre


Por Lia Bianchini

“A injustiça feita a um é uma ameaça para todos”. Lembrando as palavras do filósofo francês Montesquieu, a catarinense Agda Rezzadori explica o motivo pelo qual decidiu passar o Natal na Vigília Lula Livre, em Curitiba.

Vinda de Florianópolis, com esposo e filho, especialmente para o Natal na Vigília, ela conta que conheceu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um comício em Taubaté (SP), em 1982, e percebeu que “Lula tinha um brilho e falava com o coração”.

Nesta véspera de Natal (24), o ex-presidente Lula completa 262 dias preso na Superintendência da Polícia Federal. Do lado de fora da PF, mais de 500 pessoas vindas de diferentes estados do Brasil se reuniram para uma celebração natalina em solidariedade ao ex-presidente, que não pôde receber nenhuma visita no feriado.

“O mundo está nos olhando graças ao Lula. Se não fosse o Lula, nós estaríamos abandonados. Nós temos aqui a nossa chama de esperança. Nós não acreditamos nessa Justiça que está aí, no que foi feito com ele. A gente quer a verdade. A gente não quer deixar que Lula caia no esquecimento”, afirmou Agda.

A programação de Natal da Vigília começou cedo, com apresentação de coral da cidade de Recife. Ao longo do dia, houve várias apresentações culturais, além das saudações ao ex-presidente Lula. Entre caravanas e viagens individuais, chegaram pessoas de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Brasília, Pernambuco, Ceará, Amazonas, Pará, entre outras.