segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Cultura


Antônio Cruz, o Poeta de Lajes

O Nosso Blog Foco Sertanejo vem homenagear o Poeta Lajense Antônio Alves da Cruz, filho ilustre desta terra que ao longo de seus 91 anos é conhecedor da nossa história desde a sua fundação. O Blog traz na íntegra uma homenagem do Sr. Cícero Fernandes (Cícero Lisboa) ao Vaqueiro Lajense Luís Faustino de saudosa memória, narrada pelo poeta Antônio Cruz, esta memória viva de nossa Lajes, acompanhe conosco:


Homenagem ao Vaqueiro Luiz Faustino

Poeta Antônio Alves da Cruz

Uma Homenagem de Cícero Fernandes


Luiz Faustino um vaqueiro, pegava touro as carreiras

Por dentro do xique-xique, juremas e sarjadeiras

Botava abaixo e castrava, sem precisar de esteira

Quem tinha seu touro bravo, mandava chamar Faustino

Ele com muito prazer, pegava o touro sorrindo

Porque lutava com gado, desde o tempo de menino

Pra quem trás o dom de Deus, faz assim porem não muda

Podia ser mais parruda, botava abaixo e piava

Sem precisar de ajuda

Ele só fazia isso, porque Deus lhe deu o Dom

E pra pegar touro bravo, bastava um cavalo bom

Ele fazia isso tudo, era o que ele achava bom

Vinha lá de uma fazenda, que foi castrar um garrote

De volta pela BR, montado no seu transporte

Na pista de rolamento

Na ultrapassagem do veículo, seu animal se espantou

Ele tentou se livrar, porem desequilibrou-se

O ônibus atropelou ele, ali Luiz acabou-se

Luiz Faustino morreu, deixando muitas saudades

Levando muitas lembranças, de suas atividades

Foi ele o melhor vaqueiro, aqui de nossa cidade.