.

.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Decepcionado com o governo procurador, revela para onde iam as verbas da PF


Novamente, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, utilizou suas redes sociais para comentar sobre a atual situação política do Brasil. Segundo Lima, o responsável por deteriorar a força-tarefa da Operação Lava Jato é o #Governo do atual presidente #Michel Temer. O procurador explicou que o governo alega não ter mais dinheiro para trazer novos delegados até Curitiba, a cidade “sede” das investigações da Lava Jato.
Com a decisão da direção geral da Polícia  Federal, a Lava Jato deixa de existir, pois o número de delegados caiu, fazendo com que apenas seis delegados restantes se acumulem com vários inquéritos.
A diminuição no número de delegados coloca em risco os resultados da operação, já que os investigadores não poderiam fazer o trabalho de maneira satisfatória.
O procurador Carlos Lima é enfático, citando que a Polícia Federal não tem dinheiro para “nada”, nem para os passaportes, nem para delegados e ele ainda cita que para o presidente Michel Temer “salvar” seu mandato, deputados e senadores estão com as verbas liberadas. Carlos Lima defende que a Câmara dos Deputados aceite a denúncia contra Michel Temer e que o processo seja levado até o Supremo Tribunal Federal (STF).
A rede social Facebook se tornou um meio do procurador se comunicar com a população. Mesmo estando de férias, ele continua mantendo publicações polêmicas e criticando a #Corrupção sistêmica que há no Brasil. Em suas postagens, é evidente que o procurador tenta fazer com que a população se torne vigilante da classe política brasileira, a fim de que esta não corrompa com as investigações da Lava Jato, prejudicando a famosa força-tarefa que investiga casos corruptos envolvendo políticos e empresários brasileiros.
A defesa do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a entrar com uma representação no Conselho Nacional do Ministério Público, Lula teria sentido que o procurador fazia postagens que estariam atacando a honra de Lula e de denegrindo sua imagem.

Liberação de emendas parlamentares
O presidente Michel Temer liberou, segundo dados da agência Reuters, R$ 1,4 bilhões para deputados e senadores, o um alto índice foi constatado após a delação premiada dos donos da empresa JBS. Só no mês de junho, o governo liberou cerca de R$ 529 milhões para as emendas de parlamentares. Carlos Lima justifica que a Polícia Federal foi prejudicada, já que a liberação de verbas para a PF não foi suficiente nem para atender requisitos como a produção de passaportes.




Fonte:NBO





Nenhum comentário:

Postar um comentário